16 de Julho de 2024

Demora no atendimento em hospital da Unimed vira caso de polícia na Capital

Clientes do plano de saúde tiveram que aguardar mais de 3 horas na fila do pronto-socorro nesta madrugada

Quarta-feira, 31 de Janeiro de 2024 - 15:32 | Redação

imagem
Demora no atendimento em hospital da Unimed vira caso de polícia na Capital
Porta de entrada do Hospital Unimed na Avenida Mato Grosso, em Campo Grande (Arquivo)

Virou caso de polícia nesta quarta-feira (31) a má-qualidade dos serviços prestados pela Unimed em Campo Grande. Após sofrerem durante horas na fila de espera por atendimento no hospital do plano de saúde, pacientes acionaram a Polícia Militar e prometeram registrar queixa no Procon contra a empresa.

Após a espera na fila do atendimento se estender por mais de 3 horas nesta madrugada no pronto-socorro adulto do Hospital Unimed na Avenida Mato Grosso, o vendedor Wagner Faria, 39 anos, que acompanhava a esposa, perdeu a paciência.

Indignado com o fato de aguardar atendimento por mais de 3 horas e meia na fila, decidiu buscar ajuda da polícia para fazer valer o seu direito de ser atendido, já que todos os meses paga religiosamente os serviços contratados na Unimed Campo Grande.

Espera eterna

Wagner chegou ao pronto-socorro às 22h e saiu de lá às 2h. Sua espoa foi atendida por volta de 01h30. 

“Com a chegada da PM, o médico começou a agilizar o atendimento. Ouviu a todos que estavam na recepção e como havia vários pacientes lá reclamando, o policial pediu para irmos fazer um boletim de ocorrência e acionar o Procon”, contou. 

“O mais grave foi uma senhora com crise renal que chegou às 21h e foi encaminhada ao atendimento somente à 1h da manhã”, disse o vendedor ao Campo Grande News, a quem informou ainda hoje iria formalizar reclamação junto ao Procon e denunciar o hospital.

Ainda segundo o vendedor, no local houve “descaso total, pois a enfermeira classificou uma senhora com cálculo renal como não sendo emergência”, disse, reclamando ainda que havia apenas um médico atendendo, quando deveria haver três. Essa situação teria sido confirmada pelos policiais militares.

Demora no atendimento em hospital da Unimed vira caso de polícia na Capital
Pacientes só foram atendidos após a chegada de camburão da Polícia Militar (Reprodução)

Lei ampara

Para Wagner, a chamada feita à Polícia Militar foi justificada pela própria lei: “a demora excessiva no atendimento de emergência de hospital é falha de serviço tipificada no artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor”, argumentou.

Em nota, a Unimed afirmou que “o Hospital Unimed Campo Grande segue a classificação de risco pelo protocolo de Manchester, um método de triagem muito utilizado no setor de saúde, desenvolvido com o objetivo de classificar a prioridade de atendimento dos pacientes”.

Além disso, informou que a unidade hospitalar “segue todos os cuidados necessários e preza pelo atendimento eficaz a todos os pacientes, de acordo com a urgência” e que não irá repassar informações que envolvam pacientes para “preservar a integridade” deles e de seus familiares.

Indenização na Justiça

A demora no atendimento e a ausência de profissional na unidade credenciada do plano de saúde pode gerar indenização ao paciente. Foi o que aconteceu com uma usuária de plano de saúde em Santa Catarina, obrigada a procurar atendimento na rede pública depois de não ter recebido a devida assistência no convênio. 

A decisão prevendo a indenização, em junho do ano passado, foi do 1º Juizado Especial Cível da comarca de Joinville. Na decisão, o juiz anotou que a espera de mais de duas horas para ser atendida, sem qualquer justificativa plausível, configurou falha na prestação de serviço.

SIGA-NOS NO Jornal VoxMS no Google News

VoxMS - Notícia de Verdade