22 de Maio de 2024

Servidores do MAPA protestam em MS por reajuste e melhores condições de trabalho

Protesto ocorreu durante visita do presidente Luis Inácio Lula da Silva ao estado

Sexta-feira, 12 de Abril de 2024 - 17:57 | Redação

imagem
Servidores do MAPA protestam em MS por reajuste e melhores condições de trabalho
Servidores do Ministério da Agricultura e Pecuária fazem protesto pacífico por reajuste salarial (Foto: Divulgação).

O protesto pacífico aconteceu às margens da BR-060, na saída para Sidrolândia, e contou com dezenas de servidores públicos federais, entre auditores fiscais e técnicos agropecuários
Auditores fiscais e técnicos do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), em Mato Grosso do Sul, aproveitaram a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a um frigorífico da JBS, localizado às margens da BR-060, na manhã desta sexta-feira (12), em Campo Grande, para fazer um protesto pacífico e organizado reivindicando melhorias salariais e de condições de trabalho.

Enquanto o presidente Lula fazia um embarque “simbólico” de carne para China juntamente com os irmãos Joesley e Wesley Batista, donos e controladores do Grupo J&F, que comanda os frigoríficos da JBS, auditores fiscais e técnicos agropecuários lembraram - à cúpula dos governos federal e do Estado – que se não fosse o trabalho deles em fiscalizar e garantir a qualidade exigida pelo importador, nada disso seria possível.

Servidores do MAPA protestam em MS por reajuste e melhores condições de trabalho
Servidores do Ministério da Agricultura e Pecuária fazem protesto pacífico por reajuste salarial (Foto: Divulgação).

Os servidores chegaram cedo às proximidades do frigorífico da JBS – na saída para Sidrolândia – e instalaram faixas de protesto ao longo de um trecho da rodovia com os pontos das reivindicações. O auditor fiscal agropecuário Tiago Paulino Jorge destacou que o agronegócio compõe 25% do Produto Interno Bruto (PIB), explicando que o trabalho dos colaboradores do frigorífico é intenso, fazendo com que os trabalho dos servidores seja da mesma forma. “Precisamos garantir nossa importância no agronegócio e a valorização salarial com melhorias de condições de trabalho passa por isso”, disse.

De acordo com Tiago Jorge, o que os auditores fiscais e técnicos agropecuários querem é o nivelamento salarial com as demais categorias, notadamente com a Receita Federal e Ministério do Trabalho. Ele explica que a situação dos servidores que trabalham no setor agropecuário está pelo menos 50% aquém quando comparado aos servidores semelhantes e outros órgãos públicos federais. Além disso, Tiago Jorge alega que há uma sobrecarga de trabalho, afirmando – ainda – que o concurso público realizado pelo governo federal que cria 200 vagas para o setor foi uma boa iniciativa, mas o número é insuficiente.

Para justificar a crítica da categoria no momento de celebração por mais uma conquista mercadológica do País no setor agropecuário, com mais um frigorífico apto a exportação, Tiago Jorge lembrou que há dez anos o número de auditores fiscais era o dobro dos ativos de hoje, que somam 2.360 em todo o Brasil, dos quais 20% estão em abono permanente, ou seja, já podem se aposentar a qualquer momento. Ao mesmo tempo, auditores fiscais e técnicos agropecuários ganham 50% a menos que seus colegas servidores públicos federais de outras áreas. “Isso precisa ser resolvido e é por isso que estamos aqui”, completa.

O técnico agropecuário Nestor Luís dos Santos frisou que na sua categoria o número de profissionais na ativa ainda é bem menor: apenas 1.417 servidores públicos federais em todo o País. Ele argumenta que o quadro é antigo e que muitos servidores estão aptos a pedir a aposentadoria. Diante deste quadro, Nestor dos Santos assinala que é necessário a realização de um concurso público amplo como resposta à sobrecarga de trabalho, além do reajuste salarial. As duas categorias – a de técnico e de auditor fiscal agropecuários – estão há sete anos com os mesmos rendimentos.

Na avaliação de Nestor dos Santos, essa gestão tem sido mais aberta no diálogo com os servidores, mas no caso dos técnicos e auditores fiscais agropecuários chegou o momento de o governo federal fazer as mudanças necessárias para garantir as recomposições salariais e de pessoal no quadro de servidores do Ministério da Agricultura e Pecuária, além da liberação de melhores insumos para o exercício da profissão. Os técnicos e auditores fiscais agropecuários trabalham juntos nos portos, aeroportos, fronteiras e em todas as indústrias voltadas para alimentação – sejam elas de origem animal ou vegetal.

Juntas, as duas categorias são responsáveis emissão de certificados de produtos para a exportação, além de estarem posicionados nas fronteiras para impedir a entrada de doenças e pragas nos produtos alimentícios de origem animal e vegetal. São também as duas categorias responsáveis pela chancela de insumos para estes produtos, o que inclui medicamento veterinário, defensivos agrícolas, aviação agrícola, fomento do agronegócio, produtos orgânicos e até emissão de certificados para viagens internacionais com pets, além de garantia de toda a segurança alimentar de origens animal e vegetal.
 

SIGA-NOS NO Jornal VoxMS no Google News

VoxMS - Notícia de Verdade