14 de Junho de 2024

Justiça autoriza estudante a levar furão em cabine de avião da Latam

Pet se encaixa na norma da Anac na categoria "animal de estimação", decide juíza que atendeu o caso

Sexta-feira, 26 de Abril de 2024 - 07:53 | Redação

imagem
Justiça autoriza estudante a levar furão em cabine de avião da Latam
A estudante goiana Júlia Braz Fonseca Vargas e o furão Kira (Arquivo Pessoal)

A Justiça de São Paulo autorizou a estudante goiana Júlia Braz Fonseca Vargas, 20, a embarcar na cabine do avião com o seu furão de estimação chamado Kira. A passageira estudante obteve liminar para garantir a segurança e a integridade física do animal.  Nesta semana, um cachorro morreu após falha no translado da companhia aérea.

Entre as normas da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), não existe uma específica que obrigue as companhias aéreas a transportarem animais em viagens. As empresas que fornecem esse serviço devem estabelecer suas próprias regras de transporte. Além disso, a Anac determina situações em que a companhia pode negar o transporte na hora do embarque.

A juíza Alessandra Alves de Mourão, da 2ª Vara Cível da cidade de São Paulo, concedeu a liminar. Na decisão, ela considerou que o furão é um animal que não oferece riscos aos outros passageiros e à ordem do voo e, com isso, se encaixa na norma da Anac na categoria 'animal de estimação'.

Ela especificou que o animal deveria viajar numa caixa ou gaiola adequada “de forma a não prejudicar a tranquilidade e a segurança do voo, devendo a requerente observar rigorosamente todas as orientações para o transporte, além do pagamento das respectivas tarifas”.

Tutora e pet voaram para São Paulo na terça-feira (23) e retornaram à Goiânia nesta quinta (25). Eles foram para a capital paulista em busca de orientações veterinárias com especialistas.

Cachorro morreu em voo

Na segunda-feira (22), o cachorro 'Joca', de 5 anos, morreu durante o transporte aéreo da Gollog, empresa da companhia Gol. Um erro logístico fez o cão ir parar em Fortaleza (CE), quando, na verdade, deveria sair de São Paulo e ir até Sinop (MT). Quando a família foi encontrá-lo de volta, em Guarulhos, se deparou com o animal morto.

Segundo a família, a empresa não proporcionou os cuidados necessários ao animal. Ele foi sepultado nesta quarta-feira (24), em São Paulo, em cerimônia realizada por uma funerária de animais.

SIGA-NOS NO Jornal VoxMS no Google News

VoxMS - Notícia de Verdade