15 de Abril de 2024

Professores que fizeram concurso da Educação são desrespeitados pelo Instituto Avalia

Comissão encarregada de avaliar recursos se manifestou com grosseria ao responder a questionamento

Sexta-feira, 01 de Março de 2024 - 15:43 | Redação

imagem
Professores que fizeram concurso da Educação são desrespeitados pelo Instituto Avalia
Provas foram aplicadas no início do mês de fevereiro pelo Instituto Avalia (Divulgação)

Após aplicar provas com diversas questões contendo erros crassos de português, o Instituto Avalia, do Paraná, agora demonstra falta de capacidade técnica até para avaliar os recursos apresentados por professores que participaram do concurso para a prefeitura de Campo Grande.

Ao divulgar os resultados dos recursos, a comissão encarregada de avaliar os questionamentos dos professores se manifestou com grosseria, de forma bastante desrespeitosa.

Na página do Instituto Avalia, é possível ler as respostas do Instituto aos recursos apresentados pelos candidatos.

Ao responder a questionamento referente à questão 4 de um dos cadernos de provas, dessa forma a empresa se manifesta:

“Prezados candidatos, em resposta aos recursos interpostos temos a esclarecer que a questão será mantida, pois a mesma passa por vários setores de revisão e não foram constatados erros gramaticais, ao contrário da sua solicitação que está repleta de erros e desvios gramaticais”.

Professores que fizeram concurso da Educação são desrespeitados pelo Instituto Avalia
Negativa do Instituto Avalia a recurso apresentado por professor: resposta desrespeitosa (Reprodução)

Erros nos enunciados

Apesar de criticar os “erros de desvios gramaticais” do professor que apresentou o recurso, nas provas aplicadas pela empresa foi constatada a existência de erros crassos de português.

Alguns deles foram encaminhados à imprensa pelos professores. (Clique aqui e veja as imagens).

• Conselho Nacional de Educação. A palavra conselho foi grafada com a letra “C” (concelho) ao invés de “S”.

• O termo “epistemologia” é grafado como “Epstemologia”, sem o a letra “I” após o “P”. Ao invés de Epistemologia ficou Epstemologia.

• Na imagem do mapa do Brasil, o Sudeste aparece na Região Sul do País.

• O termo Projeto Político Pedagógico, cuja abreviatura seriam as 3 letras “P” (PPP), foi grafado como PPE.

• Na questão de Matemática, o sinal “|” (tal que) foi digitado com a letra “l”.

• O perímetro de um retângulo  é igual a 44 centímetros e sua área é igual a 120 centímetros quadrados. Quais as medidas deste triângulo?

Providências

Por conta disso, o sindicato dos professores de Campo Grande (ACP) cobrou providências da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

Paralelamente, o sindicato emitiu comunicado a todos os filiados e não-filiados a encaminhar os recursos com as devidas fundamentações.

Milhares de páginas impressas estão em poder da ACP, conforme nos informou Gilvano Bronzoni, presidente da entidade.

Antes disso, a ACP montou uma comissão, formada por professores com mestrado e doutorado, para avaliar alguns recursos e também as decisões da banca examinadora do Instituto Avalia.

Professores que fizeram concurso da Educação são desrespeitados pelo Instituto Avalia
Gilvano Bronzoni, presidente da ACP (Bárbara Bejarano/CBN-CG)

Foi constatado que diversos recursos procedem e mesmo assim não foram acatados. “Em reunião na Semed ficou estabelecido que os recursos serão novamente analisados pelo instituto”, informou Bronzoni.

Caso seja necessário, os recursos serão encaminhados à prefeitura, a quem caberá dar a palavra final, conforme estabelecem as regras do edital. Outras questões, portanto, podem vir a ser anuladas.

Mais de R$ 1 milhão

Para organizar o certame a plicar as provas, o Instituto Avalia recebeu mais de R$ 1 milhão da prefeitura. 

O valor da inscrição foi de R$ 95 e foi pago pela maioria dos mais de 20 mil inscritos, com exceção apenas dos que obtiveram a isenção do pagamento.

Convocação

Com relação à convocação dos aprovados, ficou estabelecido com a Semed que esta irá ocorrer entre maio e junho, para que os professores assumam as salas no primeiro dia de aula no segundo semestre.

A medida será adotada para que não haja a troca de professores no meio do período, o que prejudicaria os alunos, e para que os contatados também não sejam prejudicados com o fim abrupto de seus contratos.

SIGA-NOS NO Jornal VoxMS no Google News

VoxMS - Notícia de Verdade