13 de Junho de 2024

Ponte construída por Puccinelli e que caiu em Jardim tinha falhas na execução

Terça-feira, 03 de Julho de 2018 - 06:55 | Redação

imagem
Ponte construída por Puccinelli e que caiu em Jardim tinha falhas na execução

A ponte de concreto sobre o rio dos Velhos construída pelo governo de André Puccinelli (MDB), que desabou parcialmente em abril deste ano em Jardim durante forte temporal, foi mal dimensionada e a execução da base de sustentação (cortinas e alas) mostra a precariedade do projeto. A estrutura foi edificada pela mesma empresa que realizou a obra da ponte sobre o rio Santo Antônio, em Guia Lopes da Laguna, que caiu em janeiro de 2016 – Veja o vídeo.

Laudo técnico sobre as causas do sinistro, encomendado pela Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul), aponta uma série de falhas no projeto de execução e conclui que a ponte não atendia os quesitos mínimos de segurança e estabilidade necessários. “O afundamento da terceira linha de pilares escancara a falta de confiabilidade na execução das fundações e fica evidenciado que o projeto não é adequado para o local”, cita o documento.

Ponte construída por Puccinelli e que caiu em Jardim tinha falhas na execução

Sustentada no barranco - A queda da estrutura isolou importante região de produção de grãos e de agricultura familiar de Jardim, causando prejuízos no escoamento da safra de soja e transporte de estudantes para as escolas rurais. Na época, a Agesul implantou um desvio alternativo, próximo à ponte interditada, na localidade conhecida como Água Amarela. O cascalhamento do trecho (alagado) garantiu o tráfego de caminhões e é a única alternativa de acesso até o momento.

Conforme o parecer elaborado pela Etelo Engenharia de Estruturas, a queda da ponte inaugurada em 2014 é consequência de uma série de erros primários. A base de sustentação do lado direito, por exemplo, com uma viga de concreto apoiada em blocos com estacas, foi construída sobre o barranco, distante da margem do rio. Foi constatado também que os pilares da mesma linha foram construídos sobre um maciço de terra arenosa que adentrava o rio.

“Houve um acentuado recalque nas fundações da terceira linha de pilares, ocasionando um afundamento da estrutura”, aponta o laudo assinado pelo engenheiro Carlos Liberato Portugal. “Face às características da vegetação nas margens, a proximidade dos pilares na calha do rio aumenta significativamente a possibilidade de obstrução do canal pelo acúmulo de vegetação que roda durante as enchentes”, concluiu o parecer.

Colapso progressivo - A mesma empresa de engenharia realizou a vistoria na ponte construída pelo governo de André Puccinelli sobre o rio Santo Antônio, na MS-382, em Guia Lopes da Laguna, que desabou em janeiro de 2016. O laudo apresenta falhas críticas no projeto de execução, desde a ausência das armaduras de ligação das travessas (onde se apoiam as vigas da estrutura) com os pilares ao solapamento do aterro e consequente deslocamento da cortina (suporte de sustentação).

A Etelo concluiu que o fato de a ponte ser curta (72 metros) para a extensão do rio acelerou o solapamento do aterro que se apoia a cortina da margem direita, ocorrendo o “colapso progressivo” da estrutura. A firma construtora tentou reaterrar o local, mas a cortina já tinha sofrido um deslocamento horizontal. “Essas falhas tornaram a ponte instável para qualquer interocorrência, como movimentação de uma cortina ou de um pórtico de apoio”, apontou.

SIGA-NOS NO Jornal VoxMS no Google News

VoxMS - Notícia de Verdade