23 de Abril de 2024

Operação da PF e CGU combate fraudes em hospitais no Estado

Quinta-feira, 25 de Janeiro de 2018 - 12:57 | Redação

imagem
Operação da PF e CGU combate fraudes em hospitais no Estado
A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira a Operação Again para combater fraudes e desvios relacionados aos hospitais Universitário Maria Aparecida Pedrossian (Humap) e Regional de Mato Grosso do Sul, ambos em Campo GRande. A organização criminosa envolvida no caso é suspeita de inflar os preços dos produtos obtidos por meio de licitações, além de desviar o material para clínicas particulares. No esquema, insumos foram aceitos pela administração dos hospitais mesmo com o prazo de validade vencido e qualidade inferior à prometida nos contratos. Calcula-se que o prejuízo chegue a R$ 3,2 milhões, de um total de R$ 6 milhões dos contratos analisados, que seriam, em sua maioria, referentes a serviços de hemodinâmica, procedimento que permite diagnosticar e tratar doenças cardíacas por meio de cateterismo. A Polícia Federal apura se viagens para Miami, Curitiba e São Paulo foram pagamentos de propina da Amplimed, uma das empresas alvo da Operação Again, para o cardiologista Mercule Pedro Paulista Cavalcante. O dono da fornecedora de equipamentos hospitalares, Pablo Augusto de Souza Figueiredo, teria inclusive feito a viagem internacional junto com o médico e a família. Os dois foram obrigados pela Justiça a usar tornozeleiras eletrônicas a partir de hoje. A organização criminosa, que inclui funcionários públicos, também é acusada de tentar dificultar as fiscalizações do Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), que participa da ação com 16 auditores. De acordo com o ministério, os servidores, ao colaborar com as irregularidades, eram presenteados com viagens e carros de luxo. Na ação, cerca de 100 policiais federais cumprem 20 mandados de busca e apreensão em Campo Grande e Dourados, em Mato Grosso do Sul, e na capital paraense, Belém. Dois investigados tiveram decretada medida cautelar para uso de tornozeleira eletrônica. A operação recebeu o nome de Again pela semelhança com o esquema desarticulado pela Operação Sangue Frio, em março de 2013.

SIGA-NOS NO Jornal VoxMS no Google News

VoxMS - Notícia de Verdade