15 de Junho de 2024

Mais dois jornalistas morrem em Gaza após ataque de Israel

Israe nega que profissionais eram os alvos

Segunda-feira, 08 de Janeiro de 2024 - 07:30 | Redação

imagem
Mais dois jornalistas morrem em Gaza após ataque de Israel
Corpo de jornalista morto na Faixa de Gaza (Foto: Rizek Abdeljawad/Xinhua).

Um ataque aéreo israelense contra um carro perto de Rafah, no sul de Gaza, matou neste domingo (7) dois jornalistas palestinos, disseram autoridades de saúde em Gaza e o sindicato dos jornalistas local.

Hamza Al-Dahdouh e Mustafa Thuraya eram freelancers. Al-Dahdouh trabalhava como freelancer para a Al Jazeera e era filho do principal correspondente da estação de TV do Catar em Gaza, Wael Al-Dahdouh. Um terceiro freelancer, Hazem Rajab, ficou ferido.

A Al Jazeera Media Network condenou o assassinato dos dois jornalistas e disse que foi um ataque deliberado.

"Pedimos ao Tribunal Penal Internacional, aos governos e às organizações de direitos humanos, e às Nações Unidas que responsabilizem Israel pelos seus crimes hediondos e exijam o fim da perseguição e morte de jornalistas", afirmou a rede em comunicado.

As Forças de Defesa de Israel (IDF, em inglês) não responderam imediatamente a um pedido de comentários sobre o ataque ou à alegação da rede de televisão de que os dois jornalistas tinham sido deliberadamente alvejados.

Em uma declaração de 16 de dezembro, em resposta à morte de outro jornalista da Al Jazeera em Gaza, o Exército israelense disse que "as IDF nunca têm, e nunca irão, ter jornalistas como alvo deliberado".

A guerra Israel-Hamas iniciada em 7 de outubro foi mortal para os jornalistas. O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ), órgão de fiscalização internacional, afirmou que até sábado, 77 jornalistas e trabalhadores dos meios de comunicação social tinham sido mortos -- 70 palestinos, quatro israelenses e três libaneses.

O gabinete de comunicação social do governo de Gaza, controlado pelo Hamas, disse que as duas novas mortes aumentaram para 109 o seu próprio número de jornalistas mortos pela ofensiva israelense.

Vídeo publicado em canal do YouTube vinculado à Al Jazeera mostrava Wael Al-Dahdouh chorando ao lado do corpo de seu filho e segurando sua mão. Mais tarde, após o enterro, ele disse em comentários na televisão que os jornalistas em Gaza continuariam a fazer o seu trabalho.

"Todo o mundo precisa ver o que está acontecendo aqui", disse ele.

Wael Al-Dahdouh é particularmente conhecido pelos telespectadores de todo o Oriente Médio, após tomar conhecimento, durante uma transmissão ao vivo no mês passado, que a sua esposa, outro filho, filha e neto tinham sido mortos em um ataque aéreo israelense.

Entre os jornalistas que morreram cobrindo o conflito estava, Issam Abdallah, da Reuters . Cidadão libanês, ele foi morto em 13 de outubro por ataque israelense enquanto filmava um bombardeio transfronteiriço no Líbano, apontou uma investigação da Reuters.

(Reportagem de Nidal al-Mughrabi, reportagem adicional de Andrew Mills em Doha)

Agência Brasil

SIGA-NOS NO Jornal VoxMS no Google News

VoxMS - Notícia de Verdade