15 de Abril de 2024

Biden chama de "exagerada" resposta de Israel em Gaza

Presidente dos EUA disse que se esforça por trégua no região

Sexta-feira, 09 de Fevereiro de 2024 - 09:23 | Redação

imagem
Biden chama de exagerada resposta de Israel em Gaza
Mulher carrega criança após ataques de Israel na Faixa de Gaza (Foto: Mahmud HAMS/AFP).

O presidente dos EUA, Joe Biden, disse nesta quinta-feira (8) que a resposta militar de Israel na Faixa de Gaza foi "exagerada". Ele afirmou buscar uma pausa nos combates enquanto as negociações de cessar-fogo são salvaguardadas, após o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, rejeitar uma proposta do Hamas.

"Sou da opinião, como sabem, que a condução da resposta na Faixa de Gaza foi exagerada", disse Biden a jornalistas na Casa Branca, acrescentando estar "pressionando fortemente" por um cessar-fogo com a libertação de reféns. "Há muitas pessoas inocentes que estão morrendo de fome, muitas pessoas inocentes que estão em apuros e morrendo. Isso precisa parar", completou.

Biden convocou os jornalistas para responder a um relatório de Robert Hur, promotor especial que o investiga e disse que ele tem problemas de memória. Depois de falar sobre o caso, foi questionado sobre a guerra entre Israel e o Hamas.

Ao responder, referiu-se ao líder egípcio, Abdel Fattah El-Sisi, como o "presidente do México". Biden disse: "Acho que, como vocês sabem, inicialmente, o presidente do México, El-Sisi, não queria abrir a fronteira para a entrada de ajuda humanitária. Eu conversei com ele e o convenci a abrir".

Netanyahu rejeitou a proposta de cessar-fogo do Hamas na quarta-feira (7). O premiê pregou a "vitória total" de Israel na guerra e afastou a negociação com o grupo extremista envolvendo a libertação de reféns.

O Hamas apresentou um acordo de cessar-fogo de 135 dias na Faixa de Gaza, o que conduziria a guerra contra Israel ao fim. O plano apresentado pelo grupo muçulmano foi resultado de conversas com mediadores do Qatar e do Egito, apoiados por Estados Unidos e Israel.

Com a suspensão planejada do conflito, o grupo paramilitar precisaria libertar todas as mulheres israelenses, os homens com menos de 19 anos e idosos mantidos reféns desde o início da guerra. Em troca, Israel soltaria mulheres e crianças palestinas presas no país.

 

SIGA-NOS NO Jornal VoxMS no Google News

VoxMS - Notícia de Verdade