14 de Junho de 2024

Preço do arroz em Campo Grande tem variação de até 83%, mostra pesquisa do Procon

Valores seguem estáveis, apesar da disseminação de notícias falsas de que o produto iria sumir das gôndolas

Sexta-feira, 17 de Maio de 2024 - 17:21 | Redação

imagem
Preço do arroz em Campo Grande tem variação de até 83%, mostra pesquisa do Procon
Técnicos do Procon Municipal durante levantamento de preços em supermercado da Capital (Divulgação)

Os valores cobrados do consumidor pelo arroz seguem estáveis em Campo Grande,  apesar das enchentes que assolam o Rio Grande do Sul, maior produtor do grão no Brasil. Pesquisa do Procon Municipal mostra variação de até 83% nos preços do produto.

O levantamento do procon foi feito em 11 estabelecimentos, onde foram analisados 43 itens entre os dias 15 e 16 de maio. Foram apurados os preços do arroz tipo 1, com pacotes de 1, 2  e 5 quilos.

Conforme o Procon Municipal, o maior valor encontrado foi de R$ 43,90, da marca Tio João, e o menor preço foi de R$ 23,90, da marca Dona Ana, ambos de 5 quilos. A variação ocorre por serem produtos de marcas, especificidades e características diferentes.

Levando em conta a mesma marca do produto, a maior variação foi de 37%, no arroz Tio Jõao, de 1 quilo. O maior preço foi de de R$ 10,69 e o menor preço de R$ 7,79.

No pacote de arroz de 5 quilos, a maior variação encontrada, 22%, foi da marca Tio João. O maior valor é de R$ 43,90 e o menor valor de R$ 35,95.

Ainda segundo o Procon Municipal, o Governo Federal informou que 85% da safra do grão no Rio Grande do Sul já havia sido colhida. E com isso, o fator que pode gerar a escassez do produto é a estocagem desnecessária da mercadoria pelo consumidor.

Para o subsecretario do Procon, José Ferreira da Costa Neto, a análise evidenciou que os consumidores da cidade podem encontrar o mesmo produto por preços significativamente distintos, gerando impactos diretos em seus orçamentos. “Essa é a importância da informação para os consumidores fazerem a tomada de decisões de compra.”

O Procon Municipal continuará fazendo os acompanhamentos de preço periodicamente para prevenir os consumidores de serem lesados, e as denúncias podem ser realizadas pelo 156 opção 2.

Veja a pesquisa na íntegra

 

SIGA-NOS NO Jornal VoxMS no Google News

VoxMS - Notícia de Verdade