24 de Julho de 2024

Marun quer anistiar caixa 2, SUS pago e novo tribunal

Segunda-feira, 23 de Julho de 2018 - 04:53 | Redação

imagem
Marun quer anistiar caixa 2, SUS pago e novo tribunal

Em documento enviado ao candidato do MDB à presidência da República Henrique Meirelles, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, propôs um pacote de medidas que inclui, entre outros pontos, a criação de uma corte que se sobreponha ao STF (Supremo Tribunal Federal), a anistia ao caixa dois cometido em campanhas eleitorais passadas e a cobrança de um valor mínimo para o atendimento no sistema público de saúde. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Em mensagem encaminhada a Meirelles – como sugestões para o programa de governo do candidato – e a deputados do MDB, Marun destaca: "Vamos desburocratizar as eleições, mas punir realmente o uso de dinheiro ilegal nos pleitos. Podemos propor uma forma de leniência para o caixa dois já praticado e o criminalizarmos para o futuro".

Marun quer anistiar caixa 2, SUS pago e novo tribunal

Mais adiante propõe: "Vamos propor mandatos para o STF, revogar a Lei da Bengala, votar a Lei do Abuso de Autoridade, e criar uma Corte Constitucional que possa dirimir conflitos entre as decisões do STF e a Constituição Federal".

O ministro ainda afirma que a candidatura do MDB deve propor a manutenção do Bolsa Família –principal bandeira dos governos do PT–, mas que a gratuidade absoluta no atendimento pelo sistema público de saúde deve ser restrito apenas "para aqueles que são realmente carentes". Nos outros casos, defende Marun, é preciso cobrar um valor mínimo.

"Vamos manter o Bolsa Família, mas vamos propor um valor mínimo para o atendimento pela saúde pública, mantendo a gratuidade absoluta somente para aqueles que são realmente carentes", escreveu.

À Folha, Meirelles confirmou que recebeu o texto de Marun. "Vou ler com cuidado e conversar para a redação do programa de governo", disse.

Outro ponto destacado pelo ministro como uma possível proposta da candidatura de Meirelles é a obrigatoriedade para que emissoras de TV concessionárias públicas apresentem diariamente, das 9h às 11h e das 14h às 16h, programas educativos produzidos pelo estado.

No documento, Marun afirma que é preciso "radicalizar nas privatizações" e propor a autonomia do Banco Central, além de exaltar a necessidade de fazer a reforma da Previdência – a proposta foi encaminhada por Temer ao Congresso mas, sem força política e às vésperas das eleições, o presidente a viu naufragar no início deste ano.

SIGA-NOS NO Jornal VoxMS no Google News

VoxMS - Notícia de Verdade